Mitos e Verdades – Parte 2

Fumo, álcool e outras drogas afetam a fertilidade.

Verdade. Nos homens afetam a produção de espermatozoides, alterando sua mobilidade, concentração e o formato. Entretanto, depois de três meses sem fumar, a produção dos espermatozoides pode começar a voltar ao normal. Fumar também afeta a qualidade dos óvulos. E o alto consumo de álcool gera grandes prejuízos.

Há um tempo determinado para usar o sêmen congelado.

Mito. Assim como os óvulos, o sêmen congelado pode permanecer neste estado por anos. O tempo de congelamento aparentemente não interfere em sua qualidade.

Congelar óvulos é uma boa alternativa para quem quer retardar a gravidez.

Verdade. O congelamento é indicado especialmente nos casos de doenças que impedem a paciente de engravidar imediatamente, como o câncer. Porém, pode ser feito por mulheres que pretendem engravidar mais para frente e querem usar seus óvulos mais jovens. Para realizar o procedimento, os ovários são estimulados com medicamentos específicos e os óvulos são coletados e congelados. Apesar disto, os serviços não podem garantir uma boa sobrevida no descongelamento ou na qualidade dos embriões produzidos.

Usar anticoncepcional por muito tempo reduz as chances de gravidez.

Mito. Em geral, depois de interromper o seu uso por três ou quatro meses, as mulheres retomam sua capacidade normal de engravidar. Isso porque, independente do tempo que a mulher use a pílula, isso não interfere no processo. O que pode acontecer é o disfarce de um problema pré-estabelecido. Em alguns casos a pílula anticoncepcional pode até ajudar na prevenção do surgimento da endometriose e de cistos nos ovários.

 

Fonte: sites iG, UOL, com correção e atualização.

Comentários desativados.